Santiago, documentário de João Moreira Salles

Santiago, documentário de João Moreira Salles

Santiago é um longa documental lançado em 2007 pelo diretor João Moreira Salles. Tive a oportunidade de assisti-lo apenas recentemente e o percebi como uma obra bastante impactante. Não pelo seu tema, mas sim pela sua estratégia de abordagem. Definitivamente, Santiago é um filme que vale a pena ser visto, em especial por aqueles que se interessam pelos processos envolvidos na produção de um longa documental, seja um cinéfilo ou um profissional da área.

Santiago

Santiago Badariotti Merlo (1912 – 1994) foi o mordomo da família Moreira Salles durante muitos anos. Homem culto, viajado, poliglota e apaixonado por música e arte. Um estudioso e conhecedor de diversas aristocracias ao redor do mundo, trabalho que ele compilou em mais de 30.000 páginas datilografadas.

O diretor João Moreira Salles virou sua câmera ao mordomo da casa onde morou até os 20 anos de idade, para fazer um retrato desse personagem único e complexo. O documentário foi gravado pouco antes da morte de Santiago em 1994, mas o diretor só finalizou a obra em 2007. Esse hiato é justificado no filme e faz parte da estratégia de abordagem.

Com roteiro do próprio João, o longa é narrado por seu irmão, Fernando Moreira Salles. A obra mistura a biografia desse intrigante personagem com a própria presença do diretor na condução da narrativa. Ao longo do filme, vamos entendendo porque o projeto ficou tanto tempo na gaveta.

Para amarrar a história, duas instâncias diferentes de João Moreira Salles se contrapõe. A primeira, a do jovem diretor que conduz excessivamente os depoimentos do personagem principal na tentativa de fazer um retrato daquele personagem sob o seu próprio ponto de vista. Uma abordagem arrogante, que não levou em conta o que Santiago gostaria de compartilhar.

A segunda, é um João Moreira Salles mais maduro e com um olhar crítico sobre si mesmo, presente por meio da narração em off. O diretor observa sobriamente a maneira que tentou abordar o tema em meados dos anos 90 e, num exemplar exercício de humildade e autocrítica, consegue reconhecer o tiranismo que exercia sobre o empregado da casa da sua família, até mesmo nesse momento de homenagem.

A abordagem escolhida pelo diretor 13 anos depois da gravação, foi a de revisitar a relação que ele tinha com o personagem na época com um olhar crítico sobre seu próprio comportamento. O diretor reconhece seu erro em relação à Santiago, e ao documentário sobre ele em consequência, e usa isso para finalmente apresentar, pelo menos em parte, as facetas de um homem culto, complexo e servil, podado pelo filho do patrão.

Sobre João Moreira Salles

João Moreira Salles se formou em economia e enveredou para a área cinematográfica sob influência de seu irmão Fernando. Apesar da fortuna de sua família estar ligada ao setor bancário (Itaú Unibanco) o diretor não seguiu carreira nessa área. Durante o período do cinema brasileiro conhecido como Retomada, sua produtora VideoFilmes esteve envolvida com obras importantes para a cinematografia nacional. Dentre elas “Abril Despedaçado”, “Notícias de Uma Guerra Particular” e “Edifício Master”.

Trailer Santiago

Atuo como roteirista e produtor executivo de TV há 12 anos. Passagens por BAND, SBT e produtoras independentes no departamento de roteiro e desenvolvimento de projetos com trabalhos exibidos no Multishow, Canal Sony, SBT, Disney Channel e NETFLIX. Auxilio produtores a formatarem seus projetos com as consultorias em produção executiva e roteiro.

0 Comentários

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

2 × dois =