Projeto para TV: Modelo de Negócios

Projeto para TV: Modelo de Negócios

Estamos chegando ao último post da série sobre projetos para TV. Depois de uma introdução geral ao tema projetos para televisão, nós abordamos a criação para TV para em seguida detalhar as etapas que estão envolvidas na produção de um projeto audiovisual. Nós também falamos sobre orçamento e disponibilizamos um modelo de planilha de orçamento para download. Para encerrar essa série, vamos abordar o modelo de negócios dos projetos de TV.

Se você tem dúvidas, sugestões ou informações úteis para compartilhar nesta série de artigos, deixe seu recado na área de comentários.

Projeto para TV – Modelo de negócios.

O modelo de negócios do projeto para TV tem muito a ver com o financiamento da produção, mas não está restrito a isso. Ele é necessário para que os executivos de TV percebam a viabilidade econômica da sua ideia. Além de ter a certeza de que o projeto ‘se paga’, é preciso saber como ele fará dinheiro e trará lucro aos envolvidos. É através do modelo de negócios que você irá mostrar isso aos possíveis parceiros.

Todo o planejamento que foi realizado até aqui faz parte do seu modelo de negócios. Já sabemos qual é a ideia, quais são os recursos necessários para tirá-la do papel, quem são os profissionais envolvidos e qual é a estimativa de custos e prazos para sua realização.  Mas ainda faltam algumas questões importantes como:

  • Quem são os parceiros dessa produção e como eles colaboram no projeto?
  • Onde o programa será exibido?
  • Como a produção será financiada?
  • Quais são as janelas de exibição secundárias envolvidas no projeto?
  • Quais são as oportunidades de lucro com personagens ou marcas relacionadas ao projeto?

Modelo de Negócios,

pode fazer toda a diferença para seu projeto ir ao ar e se tornar uma obra de sucesso.

icon icon

Inovação em modelos de negócios.

Para quem quiser se aprofundar em cada uma das etapas de um modelo de negócios, recomendo muito a leitura do livro Business Model Generation, da foto ao lado. Existe tradução em português e o conteúdo é organizado de uma maneira muito didática e simples de compreender.

Quando falamos de modelos de negócios, geralmente pensamos que isso é um assunto muito complexo e que diz respeito apenas aos diretores de uma empresa. Apesar do assunto realmente ser complexo, ele pode ser aplicado no âmbito dos projetos e não somente na gestão da empresa. Certamente, durante a leitura do livro, você vai reconhecer diversas atividades do seu dia-a-dia como etapas do modelo de negócios da área em que você atua.

A pergunta mais importante: Quem paga a conta?

Saber como a produção será financiada é imprescindível. Existem diversas maneiras de viabilizar seu projeto e nenhuma delas é fácil. Atualmente o governo federal, por meio da Ancine e do Fundo Setorial do Audiovisual, está orquestrando uma série de incentivos para o setor audiovisual. Também existem leis estaduais e municipais de incentivos com base em renúncia fiscal.

Além disso, a possibilidade do investimento direto feito por um grande patrocinador não pode ser descartada. Ainda nessa área do investimento privado, temos também os fundos de investimento. São grupos de investidores que escolhem bons projetos para aplicar seu dinheiro e obter retorno mais tarde. Esse tipo de investimento é muito praticado na área de TI, com a proliferação das startups e dos ‘investidores-anjo’.

No mercado de audiovisual isso também existe, apesar de não ser muito comum. Os investidores querem segurança quanto ao retorno do investimento que irão fazer. Por isso eles escolhem projetos bem estruturados com empreendedores engajados na liderança. Como no audiovisual ainda não existem muitos projetos nesse perfil, há poucos cases desse tipo de investimento. Talvez seja uma boa hora para olhar melhor para o dinheiro privado e deixar de lado a exclusividade dos mecanismos de fomento dos governos em seus modelos de negócios.

Desse modo, podemos dar alguns exemplos de modelos de financiamento:

  • Produção com dinheiro de um único patrocinador;
  • Custo de produção dividido em cotas de patrocínio, para captação de mais de um patrocinador;
  • Produção com dinheiro público, via um único mecanismo de fomento;
  • Produção com dinheiro público combinando vários mecanismos de fomento ao mesmo tempo;
  • Produção com dinheiro público e privado, combinando mecanismos de fomento com aportes de patrocinadores.

Essa lista não é restrita. Ainda podem existir dezenas de outras maneiras de financiar um projeto. Importante ressaltar também que no caso do seu modelo funcionar com dinheiro de incentivo via mecanismos de renúncia fiscal, você vai precisar contratar um profissional chamado ‘Captador de Recursos’. Esse profissional atua diretamente com as empresas que desejam investir nas obras autorizadas pelo governo, apresentando seu projeto e fechando os contratos de financiamento. Portanto, o custo desse profissional deve estar relacionado na sua planilha de orçamento lá na etapa de pré-produção.

Um time forte,

faz toda a diferença. Bons parceiros podem ajudar na realização do seu projeto.

Sobre os parceiros.

Quando você terminar o orçamento, será possível identificar quais são os recursos mais caros para a realização do projeto. Também será possível saber quais são mais fáceis ou mais difíceis de serem providenciados. Esse tipo de informação é importante para o modelo de negócios, pois pode te orientar na busca por parceiros.

Se você tem um projeto de ficção científica que exige um número muito grande de efeitos especiais, talvez seja interessante fechar uma parceria com uma produtora de efeitos especiais dando a eles uma porcentagem dos lucros do seu projeto. Assim você consegue baixar o custo de produção, já que você conseguiu um sócio para aquela tarefa, e isso também pode ajudar na venda para as emissoras. Afinal de contas, o impacto de um projeto com vários parceiros pode ser maior e transmitir mais confiança do que apenas um produtor executivo apresentando a ideia para a emissora.

Flexibilidade é ponto chave.

Tenha em mente que o modelo de negócios não precisa ser algo fixo, rígido. Ao procurar por parceiros, fatalmente seu modelo de negócios precisará ser revisto e adaptado. Nessa etapa inicial de criação do projeto é importante desenvolver o modelo de negócios da sua ideia, pois isso lhe dará um norte, uma direção a seguir quando for tentar viabilizar o projeto. Contudo, reveja e adapte o seu modelo sempre que for preciso.

Se você planejou gravar seu projeto com dinheiro de patrocinador e não está conseguindo alguém para pagar essa conta, reveja seu modelo e adapte ele para as leis de incentivo, por exemplo. Não tenha medo de jogar fora a parte do trabalho que não está apresentando resultados.

Além da flexibilidade no modelo de negócios, o autor-roteirista criador do projeto também precisa ser flexível com relação ao conteúdo da obra. Isso não significa que é necessário mudar o projeto ao gosto do patrocinador, mas ceder em alguns pontos às vezes pode ser o fator que vai diferenciar teu projeto dos demais.

Modelo de Projeto para TV.

Elaborei a estrutura de tópicos disponível neste modelo de projeto, com o conteúdo de palestras e de slides apresentados por executivos de TV em alguns fóruns que visitei. Quando for redigir o seu projeto, procure ser objetivo e claro na redação dos textos. Em geral, os executivos de TV não possuem muito tempo para ler os projetos.

1. Introdução

 

2. Criação

3. Produção

4. Orçamento

Agente Audiovisual. Atuei como roteirista e produtor executivo de TV por cerca de 10 anos. Em 2017 abri a Origina Conteúdo, com foco no agenciamento de profissionais criativos para o mercado audiovisual. A Agência Origina representa Diretores, Roteiristas e Produtores Executivos de Cinema, Televisão e Internet. Se quiser saber mais, veja meu perfil profissional no Linkedin.

10 Comentários

  1. Gustavo Sicchieri 3 anos atrás

    Boa tarde,

    quero deixar registrada aqui minha satisfação com os tópicos referentes à CRIAÇÃO PARA TV; PRODUÇÃO PARA TV, ORÇAMENTO PARA TV e MODELO DE NEGÓCIOS.

    Possuo absolutamente nenhum conhecimento nesta área, a não ser uma série ou outra que assisto no NETFLIX, mas depois de ler esses tópicos as palavras PRODUÇÃO, DIRETOR, CENOGRAFIA, entre outras, fazem algum sentido. Longe de achar que agora conheço a fundo o assunto, sinto que esse universo não é um mistério como parece para um leigo.

    Parabéns pelos posts e sucesso em sua divulgação.

    Att.

    Gustavo Sicchieri

    • Autor
      Matheus Colen 3 anos atrás

      Obrigado pelos elogios, Gustavo.

      Que bom que você gostou do conteúdo. Eu adoro esse assunto.
      Espero que fique ligado no site. Teremos alguns posts sobre audiência em breve.

      Abs!

  2. Danilo Silveira 2 anos atrás

    Boa tarde,
    Antes de tudo quero agradecer pelo post super esclarecedor sobre o assunto Projeto para TV porém tenho uma dúvida que pode ser também de outras pessoas. A questão é antes de apresentar o projeto para um executivo de TV como fazer para registrar ” patentear ” a sua ideia- o seu projeto? Como funciona?
    Parabéns novamente pelo site
    Att
    Danilo Silveira

  3. Ismael Candé 1 ano atrás

    Muito obrigado pelas dicas.
    Está brutal as explicações das dicas para a criação de um programa tv.
    Eu estou em portugal estou numa fase muito inicial para a criação do meu projecto.
    Não sei bem por onde começar

    • Autor
      Matheus Colen 1 ano atrás

      Olá Ismael. Obrigado pelo comentário.

      Comece pela sua ideia original.
      Sobre o que você quer falar? Qual é o assunto? Qual a abordagem? Qual o tema? Qual o gênero? Quem é o seu público? Como isso vai impactar na vida dele? Trabalhar o argumento do seu projeto é fundamental antes de começar a estruturá-lo em termos de produção.

      Abraços!

  4. Celso Silva 1 ano atrás

    Ola! Gostei muito das dicas e gostaria de saber onde encontrar um modelo de bíblia para serie de TV em português. Desde ja, muito grato

  5. Rogéria Corrêa 2 meses atrás

    Você faz captação para programa de tv, estou lançando um programa inédito com um Reality Show e preciso de um gestor como você, se quiser saber mais entre em conto comigo.
    Rogéria Corrêa
    21981123389

    • Autor
      Matheus Colen 2 meses atrás

      Olá, Rogéria.

      Obrigado pelo interesse nos serviços da Origina.
      Não realizamos captação de recursos para projetos de terceiros, mas oferecemos uma série de serviços e consultorias em produção executiva que podem lhe ajudar.

      Está tudo na nossa Central de Serviços, no link abaixo:
      https://servicos.originaconteudo.com.br/producao-executiva/

      Abraços.

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

dezessete + 20 =