Programa Raul Gil – Mídias Digitais

Programa Raul Gil – Mídias Digitais
Jovens Talentos 2010

Por Matheus Colen

O Programa Raul Gil foi meu primeiro emprego em televisão. Entrei em 2006 como estagiário e saí de lá em 2011/2012 como Produtor Executivo e Roteiristas. Realizei diversos projetos legais com a equipe do programa durante esse tempo. O principal deles, foi a reformulação completa do site e da estratégia do programa para as mídias digitais.

Transmídia: Usando as mídias digitais a favor de um programa de TV.

No ano de 2010, o Programa Raul Gil enfrentava um grande desafio. Recuperar os índices de audiência, especialmente na faixa de público mais jovem. Para isso foi criada uma estratégia baseada nas mídias digitais e que tinha forte relação com o conteúdo da televisão.

Reformulação do site

O site do programa possuía um layout antiquado, típico da internet estática dos anos 90. Portanto, a primeira atitude com relação às mídias digitais foi a modernização da página do programa. Era preciso deixá-lo dinâmico, abrindo mais espaço na internet para o conteúdo que já produzíamos até então. Por ser um programa semanal com mais de 3 horas de duração, tínhamos de 3 a 5 matérias novas toda semana. Sem falar nas dezenas de fotos e vídeos gerados a cada programa.

Isso representa uma quantidade considerável de conteúdo que se perdia facilmente no site antigo. Para resolver esse problema, estruturei o novo site como um portal de notícias apostando num design leve e limpo. O desenvolvimento ficou por conta da SpicyWeb. Foi implantado um sistema de TAGs e categorias para organizar as notícias. Galerias de fotos, vídeos e links para as redes sociais também faziam parte do novo site. Todas as matérias indicavam conteúdos relacionados de foto, vídeo e texto. A produção ganhou um blog próprio, além de perfil no Twiter, no Formspring (aquela rede social de perguntas e respostas), página no Facebook e comunidade no Orkut. Assim foi a entrada do Programa Raul Gil nas mídias digitais.

Estratégia de comunicação transmídia

A comunicação do programa possuía uma abordagem específica para cada uma das mídias digitais. No site, as matérias possuíam textos bastante claros, porém de aspecto mais formal e jornalístico. No blog, as postagens eram mais descontraídas e faziam referência para os outros conteúdos do site, estimulando o usuário a explorar nossas galerias de fotos, vídeos e notícias. O nosso Twitter funcionava como uma espécie de messenger público e possuía uma estratégia bastante específica voltada para ampliação do número de seguidores, além de manter relacionamento com o público.

No Orkut, rede social que era muito popular na época, o Programa Raul Gil tinha diversas comunidades criadas por fãs. Criamos uma comunidade oficial e nos aliamos aos fãs, divulgando o conteúdo produzido por eles e reconhecendo o trabalho e o carinho dos que se destacavam nas comunidades com matérias no site oficial do programa.

Desse modo, conseguimos milhares de membros na nossa comunidade e cerca de 15 mil seguidores no Twitter em 2 meses. Quando iniciamos com as promoções no Twitter, pulamos para 25 mil. A cada edição do programa, ganhávamos 2 mil seguidores no Twitter somente com o movimento que criávamos na rede. Ficamos nos Trending Topics por diversas vezes em 2010.  Essa estratégia foi abandonada em Junho de 2010, quando o programa mudou de emissora. Nessa época possuíamos cerca de 40 mil seguidores. Dois anos depois, o Twitter do programa possui cerca de 85 mil.

Parceria com o portal UOL

No início dos anos 2000, o Programa Raul Gil fechou uma parceria com o portal UOL para compartilhamento de notícias. Com o tempo, essa parceria caiu no esquecimento, a barra da UOL foi retirada do site e nosso conteúdo deixou de ir para um dos maiores portais brasileiros de notícias. Após reestruturar o site e o programa, voltamos a conversar com a UOL e retomamos essa parceria.

A cada semana, indicávamos para o portal uma matéria de nosso site como destaque. Ela aparecia na página de celebridades da UOL e ganhava destaque na home do portal na véspera do programa. Essa parceria também foi desfeita em Junho de 2010.

O programa na TV

Para reforçar todo o investimento feito nas mídias digitais, o diretor do programa fez uma alteração estrutural na exibição da TV. Após todos os candidatos cantarem, o júri fazia a avaliação, mas não dava as notas. O julgamento final era exibido na TV somente no próximo programa. Contudo, o espectador que não desejasse esperar a próxima semana poderia simplesmente acessar o nosso site e ver o vídeo instantes após o término do programa na TV.

Em resumo, toda a estratégia transmídia desenhada nesse projeto envolvendo o quadro Jovens Talentos, serviu de suporte para o programa de televisão, que era a nossa mídia principal. Sabíamos onde o nosso público estava e tentamos ir ao encontro dele com as ferramentas mais populares da época. Os resultados foram super positivos, tanto em termos de audiência, como no retorno que tivemos dos telespectadores.