Devore seus ídolos

Devore seus ídolos

O embate entre o que é novo e o que já está estabelecido é muito importante. Sempre nascerá algo inovador a partir desse conflito de gerações, um amálgama do que existe de melhor em ambos. Quando misturamos o apetite pelo risco e a vontade de fazer algo diferente das novas gerações, com a experiência e os casos de sucesso das gerações mais avançadas, é fato que o produto dessa mistura vai ser algo interessante para todos.

Idolatrar ou invejar ídolos não leva ninguém a esse tipo de resultado. Portanto, devore seus ídolos.

Devore seus ídolos!

Tenha ídolos. Vários deles. Entenda por que eles deram certo. Entenda o quê neles faz despertar sua admiração. Lembre-se de que a inveja também é uma espécie de admiração, mas somada com raiva, com inércia, com incapacidade. Esqueça a inveja. Assim como a idolatria, a inveja não vai te levar a lugar nenhum.  Concentre-se naquilo que te chamou a atenção. Procure observar isso e com o tempo você vai entender como os seus ídolos se tornaram ídolos. E quando isso acontecer, devore-os!

Coma-os com farinha ou beba-os com vodka.  Não importa. Desde que você os devore de alguma maneira. Absorva o que eles possuem de melhor. Excrete aquilo que eles têm de ruim. Sim, ídolos são pessoas iguais a você. E eles são tão imperfeitos quanto você. Procure pelos acertos e observe muito bem os erros. Tente aprender com os erros deles e devore-os novamente.

Não se coloque numa posição de idolatria absoluta. Isso apenas os mantém na condição de ídolos inalcançáveis. Novas gerações não precisam disso. Não se alimente da inveja pelos resultados deles. Isso apenas te mantém na posição em que está hoje. Nenhuma geração precisa disso.

Respeite seus ídolos, em vez de venerá-los. Devore seus ídolos, em vez de idolatrá-los. Torne-se seu ídolo, em vez de invejá-los.

Quando não lhe restarem mais ídolos, comece a devorar os ídolos alheios. E faça algo a partir disso. Qualquer coisa, mas faça algo. Se exponha. Apresente seus resultados. Transforme-se num ídolo que valha a pena ser devorado.

Roteirista e Produtor Executivo de TV, atua há 10 anos no mercado audiovisual com passagens por produtoras independentes, emissoras de TV aberta e fechada. Montou a Origina em 2015 para se tornar produtor independente, com foco em agenciamento de roteiristas, criação de conteúdo e planejamento. É diretor de Comunicação da ABRA - Associação Brasileira de Autores Roteiristas e sócio-fundador da GEDAR -Gestão de Direitos de Autores Roteiristas. Meu perfil profissional está disponível no Linkedin

0 Comentários

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

cinco × 4 =